Fundado em 1939
FOTO CINE CLUBE BANDEIRANTE
Visite o site da Confederação Brasileira de Fotografia e Cinema
 
Declarado de utilidade pública estadual pela lei 839 de 14 de novembro de 1950
Cursos
Associe-se
Informativos
História
Exposições
Artigos
Tabelas de Revelação
Fotoclubes pelo Brasil
Descontos p/ sócios
Área dos sócios
FCBPress
Passeios Fotográficos
Concursos e Salões
Serviços
Eventos
Diretoria
Professores
Fale conosco
FCCB 64 anos

Cursos

Veja a relação de cursos ministrados pelo Foto Cine Clube Bandeirante e inscreva-se.

clique aqui

 

 

História Foto Cine Clube Bandeirante

Foto Cine Clube Bandeirante - história* 

Continuação

Inauguração de Salão Internacional de Arte Fotográfica

Mas , a partir do terceiro , em 1943 , mais precisamente a partir de 1945 e nas décadas de 50/60 , instigados por José Yalenti, Eduardo Salvatore e Benedito J. Duarte, os bandeirantes se lançaram à experimentação renovadora e modernizadora. A pesquisa, o estudo e o aproveitamento dos efeitos de luz, desde a luz lateral, os seus contrastes e o contra -luz total,levaram a uma sintetização e simplificação cada vez mais acentuada das linhas e formas geométricas . É a fase da "fotografia arquitetônica"( Yalenti, Salvatore, Thomas J.Farkas, Gertudes Altschull...) explorando as linhas, os planos, os detalhes dos modernos edifícios e que , através de processos como o "alto contraste", a "solarização"e o uso do papel brilhante (antes banido das exposições fotográficas ) logo evoluiu para o "abstracionismo", o "concretismo" o "grafismo", com Marcél Giró, Geraldo de Barros, Rubens Teixeira Scavone, Ademar Manarini, Willian Brigato, Emil Issa , e outros. 

Foto: Excursão a Paquetá (Niteroi) 1947

 

De outro lado, porém , o "surrealismo'compada com Roberto Yoshida ( o mestre do "table- top"e da fotomontagem") , German Lorca, Moacir Moreira, Alfio Trovato e também Gertudes Altschull( perita na "separação de tons"e na solarização )...A fotografia "Subjetiva"e o "néo-realismo"também tinham vez com Ivo Ferreira da Silva, Dulce Carneiro, Jacob Polacow, Kazuo Kahawara, M.Laert Dias, Camilo Joan, Nelson Peterlini... O "movimento"se descongelava nas fotografias de Raul Chama, Arnaldo Machado Florence, João B. Nave Filho; o retrato e a figura humana ganhavam conotações "expressionistas" com Francisco Albuquerque, Aldo de Souza Lima, Tufy Kanji, Raul Eitelberg... As cenas e os personagens anônimos da grande cidade tinham seus intérpretes nos flagrantes de Júlio Agostinelli, Eduardo Ayrosa, Antônio da Silva Victor, João Minharro... A própria paisagem e a natureza morta ganharam novos enfoques com Carlos Comelli, Nelson Nelson S. Rodrigues, Ludovico Mungioli, Luis Vaccari, Takashi Kumagai, José Galdão , Gaspar Gasparian... E Herros Cappello revolucionaria a fotografia em cores com processos próprios e originais, alterando a seu bel prazer as cores originais dos objetos,solarizando os negativos em cores e fazendo fotografia colorida partindo de negativos branco e preto, numa primazia mundial... 

Foto: Chico Albuquerque - Acervo FCCB

 

Foto: Antonio da Silva Victor - Acervo FCCB

Foram os anos da grande ruptura na fotografia nacional , buscando novas formas de expressão e uma linguagem mais específica para a fotografia, provocando até a conversão de renitentes acadêmicos como por exemplo , José Oiticica Filho, até então o artista-fotógrafo brasileiro mais premiado em certames fotográficos no país e no estrangeiro. Com suas "recriações",Oiticica veio engrossar a corrente abstracionista e concretista que teve no seu ápice em 1965, quando o Foto Cine Clube Bandeirante obteve da VIII Bienal de Arte Moderna a criação de uma sala especialmente dedicada à fotografia. 

Todos esses "ismos" e os que os sucederam como o "supra-realismo", a "arte-pop","op ",etc; encontravam guardia e duelavam no Bandeirante através dos seus concursos internos, seminários, salões, artigos na revista Foto- Cine, tornando-o o grande foro de debates da fotografia brasileira. 

Também no setor de cinema o clube revelou grandes cineastas, entre eles , Benedito J. Duarte que se tornaria um nome internacional no documentário médico-ciêntifico; Geraldo Junqueira de Oliveira, Thomas J. Farkas, Cézar Yasbeck, Estanislau Szakowski, Abrão Berman... 

Com todo esse movimento, começaram , finalmente , a cair as barreiras que se opunham à fotografia artística; os críticos de arte passaram a olha-la com maior atenção; os museus e as galerias de arte principiaram a se abrir para ela... 

Festa Junina no Bandeirante

Hoje em dia conquistou definitivamente o seu lugar ao lado das demais artes; um lugar próprio, com uma linguagem cada vez mais específica, muitas vezes influenciando as demais artes, numa verdadeira inversão de posições. 

Más , quando o historiador fizer a analise da evolução da fotografia no Brasil, certamente haverá de dividi-la , como já fez abalizado crítico de arte, em dois períodos perfeitamente definidos: "Antes e depois do Bandeirante". 

Entrementes, continuou o FCCB em seu labor cotidiano, formando novos valores, amadores e profissionais , que hoje honram a fotografia nacional em seus múltiplos campos de atividade. Muitos dos nomes atras citados já estão falecidos . Mas outros "bandeirantes"os sucederam , sempre trazendo novas idéias, novos temas, novos estilos: Newton Chaves,Linneo Cordeiro (macro- fotografia) ,Alberto Siuffi,Mecenas Salles, Arsenio Hypolito Jr. ,Magdalena Schwartz, Fernando G. Barros, Alice A. Kanji, Carlos Sacramento, Vittorio Graziano, Cláudio Feliciano, Dorival Rizzatto, Hoover A .Sampaio, Narbal Knabben...e mais recentemente , Roberto Scherer, Margherita F. Ducco ,Dácio Burjato Jr., Amaury Sabino, Tadeu J.Cruz,Ernesto Tarnoczy, Oldemar Mattiazzo,Cintia Amaro,Fernando Durão,Oswaldo Flosi,Pedro Mandorino , Antonio J.Cury , José Dortéia da Silva ,Ivo A. Fuckner,Francisco A.Salgado, e muitos outros , dando uma contribuição das mais valiosas para o desenvolvimento da fotografia brasileira e sua presença nos maiores eventos fotográficos de todo o mundo. 

Foto: Remanescentes em encontro no clube para exposição de aniversário do clube em 2001

Da esquerda para direita : José Reis, Eduardo Salvatore, Gasparian Filho, German Lorca e Alberto Martinez

O Bandeirante mantém , porém a mesma fé , a mesma firmeza, os mesmos ideais que animaram os seus fundadores e os que os sucederam e o guindaram à posição de renome e prestigio que detém nos meios fotográficos internacionais; contribuindo através da fotografia , para a difusão e a elevação da arte e da cultura; levando a todos os rincões do mundo a mensagem de paz e de amizade dos artistas - fotógrafos brasileiros. 

*Histórico de Informações retiradas do boletim informativo de 45 anos de bandeirante de 1984, fornecido pelo Sr. Eduardo Salvatore. Fotos do Acervo do FCCB.


Bandeirante hoje

Atualmente ministra cursos de fotografia , palestras e workshops , dispõe de laboratório , Estúdio para utilização de sócios , mediante taxa de uso. Sócios dispõe de descontos especiais em estabelecimentos comerciais e em todas as atividades ministradas nas dependências do Clube. 

Um dos vídeos dos passeios organizados pelo FCCB

 

 

Fotos: Concurso Interno

Fotos : Passeios Fotográficos

 

Passeio fotográfico Junho 2009

Foto: Daniela Stabeli Diehl - Concurso Web Art Photos

 

Fotos da Sede do Bandeirante desde 1998 na Rua Augusta 1108 - São Paulo - SP

Estúdio Bandeirante 2009

Galeria Bandeirante

Curso Edição de imagens

 

Participamos de Bienais de Fotografia, Concursos, Promovemos concursos internos, passeios fotográficos, exposições entre outras atividades. Associe-se ao clube !!!
  


  

< voltar |

 

Central de Atendimento - FCCB
Qualquer informação sobre o funcionamento do FCCB, cursos, associação : atendimento@fotoclub.art.br

  Design e construção - Webmaster

 

Destaques

. Associe-se ao clube

Clique abaixo e veja as vantagens de ser associado ao FCCB.

clique aqui

 

Destaques

. Estatuto Social

Se você planeja abrir seu próprio Foto Clube ou Grupo fotográfico, conheça o Estatuto Social do FCCB para saber como proceder.

clique aqui